23 HORAS E 03 MINUTOS

Deve-se recomendar liberdade apenas a quem sabe o que é a infinita responsabilidade. No fundo da arte, não há mais regras que se possam escrever, mas há momentos da mais pura legislação para aquele que se submete a ela num sentido último!”, atentou Rilke. Por que falar de liberdade com um autor que está publicando seu primeiro livro? Hoje, a proliferação de publicações expande cada vez mais o sentido da palavra liberdade, e acaba sendo muito fácil falar de experiências profundas com arte, já que qualquer experiência, uma vez vivida e escrita, torna-se previamente profunda. De um modo geral, se esquece que responsabilidade demanda trabalho árduo. Mas Deborah Viégas é um exemplo de trabalho. Seus contos, sob uma aparência de lirismo romântico, ou de uma fragilidade essencial, denotam, para quem seja capaz de se guiar por sua fina ironia, uma interessante maturidade e um senso crítico incisivo. A solidão, premissa de quase todos os seus personagens, não é a solidão egocêntrica de quem a forja por pura necessidade de expressão, mas um sentimento ancestral, que só pode mensurar uma escritora plenamente consciente de suas responsabilidades. Enfim, 23 horas e 03 minutos é o primeiro aceno de uma escritora que tem muito à sua frente. Victor Paes

Informações adicionais

  • Autor: Deborah Viégas
  • Preço: 30,00
  • Categoria: Contos
  • Coleção: Massapê
  • ISBN: 978-85-60676-51-4
  • Nº de páginas: 92