Os mortos não comem açúcar

“Já era noite no Recife, e a lua por testemunha. Também uma mãe aflita e sua criança ao lado, um senhor desatento esbarrando na moça à espera do coletivo. Todos voltando para casa. Da margem e das pontes, além do céu, uma razão. Ou desrazão? Seguir os anos, vassalo e entregue. As águas do rio guardarão a noite e, debaixo delas, um redemoinho, sem repouso, nem limite... Eu sorri de novo, era quase, agir ou padecer. Então, prometi a mim mesmo, sem saber se daria certo, mesmo que caia e chore, eu voltarei, eu voltarei depressa, tão logo a noite acabe, tão logo este tempo passe, para beijar você...”   

ALEXANDRE FURTADO, nascido no Recife, é poeta, crítico e contista. Professor de Literatura na UPE, publicou o livro de poesia De ruas e in-tinerários, em 2010.

Informações adicionais

  • Autor: Alexandre Furtado
  • Preço: 48,00
  • Categoria: Contos
  • ISBN: 978-85-5532-022-4
  • Nº de páginas: 160