FERNANDO FIGUEIREDO nasceu em Olissipo, hoje Lisboa (a formosa flor-de-liz), cidade das sete colinas, no ano de 65. Formou-se em design/artes gráficas, embora, como ele mesmo diz, “seja uma Criatura de sete ofícios, multifacetado”.

Realizou várias exposições coletivas no âmbito da pintura e do desenho. Hoje volta-se para a fotografia.

O próprio artista se define:

A minha pintura agora é construída com luz, num irradiar... num pulsar de idéias, analogias, metáforas, sentimentos... E, como dizia F. Pessoa, numa nota biográfica em relação à vivência e ato criativo da escrita, o “ser poeta e escritor não constitui profissão, mas vocação”, assim estou eu perante a pintura, o desenho e a fotografia, a Arte, diria mais... encaro estes projetos quase como de uma forma catártica, religiosa, numa tentativa existencial de re-ligar-me, re-encontrar-me com o mundo, com o Deus dentro de cada coisa ou Ser... no fundo, almejar e beber do mais puro em nós numa oitava acima da razão da inteligência. Beber aonde a água é mais pura... na pura fonte da Intuição.

Procurando, e de forma pontual, “beliscar” as consciências adormecidas ao ter um papel intervencionista, em nível social, político, religioso... é a voz da responsabilidade da parte individual perante o todo... “mais vale acender uma vela a maldizer a escuridão”...

 

Conheça mais de seu trabalho em www.olhares.com

 

2007 © Revista Confraria - arte e literatura - www.confrariadovento.com